É hora de aproveitar as energias de Júpiter e Saturno!

A base da magia astrológica, de um modo geral, é aproveitar os momentos em que o céu se encontra favorável para aquilo que você quer conquistar. Como o mais desejado é aproveitar o céu para magia benéfica, por exemplo recorrer a Vênus, Júpiter, Mercúrio ou o Sol para magia de prosperidade, o mais comum é…

Um roteiro para rituais no estilo Golden Dawn

Partindo de uma perspectiva pragmática, uma das grandes vantagens dos rituais do currículo da Golden Dawn é que eles são modulares e versáteis: as diferenças entre as várias formas de um mesmo ritual costumam ser as formas desenhadas no ar, os nomes divinos entoados, as cores visualizadas. Com um domínio razoável das suas tabelas, fica…

Os dias da semana e as horas astrológicas

O assunto de hoje é um tema que eu já abordo em meus cursos de magia astrológica, mas que também é interessante para além de suas aplicações práticas, sobretudo para quem tem curiosidade sobre a formação da nossa semana de sete dias, que é o padrão no mundo ocidental. Diferente de outros ciclos, como o…

Os sete corpos do ser humano na astrologia hermética

O hermetismo fornece uma ótima base para uma teoria mágica da aplicação dos poderes dos planetas na magia astrológica. A primeira vez que eu tive contato com isso foi ao ler o clássico contemporâneo Seven Spheres, de Rufus Opus, um grimório de magia astrológica que envolve trabalhar com os sete arcanjos dos planetas num processo…

O arcanjo Raziel e o Livro dos Mistérios

Eu sou obcecado por grimórios bem estruturados, o que, para minha tristeza, é um tanto raro. Boa parte deles não passa de listas e listas de nomes de espíritos e a quem eles supostamente obedecem, com imagens, fórmulas e instruções a serem seguidas à risca para construir as ferramentas e encenar os rituais (isto, se…

Sobre os elementos  –  parte III: magia elemental

Um dos textos mágicos mais antigos, talvez o mais antigo, fora do Oriente e seu material dos Upanixades, que põe em prática a teoria dos quatro elementos e utiliza fórmulas para invocá-los, parece ser o comecinho da famosa Liturgia de Mithras, que consta nos PGM (IV. 475–829). Cito-a logo abaixo: Esta é a invocação do…

Sobre os elementos  –  parte II: astrologia, ocultismo e Cabala

Como dito na primeira parte deste texto, a gente costuma chegar nos autores esotéricos que escrevem sobre os elementos tendo como bagagem prévia pelo menos um contato com obras de entretenimento. Porém, apesar de esse tipo de material servir para nos guiar até a porta, por assim dizer, ele não é a companhia ideal depois…

Uma introdução prática à geomancia

Eu já falei da geomancia no meu texto sobre oráculos, mas na época só tive tempo de oferecer uma visão bem geral e não expliquei como é que se brinca disso. Por esse motivo, imagino que já tenha passado da hora de darmos uma olhadinha em como a coisa funciona. Não temos muito geomantes por…

A Lua, o Portal Celeste

Como toda bruxa bem sabe, a Lua é provavelmente o corpo celeste mais importante para a magia. Também é um dos mais complexos. É um senso comum das práticas mágicas — acredito que principalmente na bruxaria, mas não só, a magia de grimórios também trabalha com esse conceito — de que a Lua crescente serve para atrair coisas e…

Quem tem medo de magia angelical?

Eu confesso que eu tinha, pelo menos até um tempo atrás. E eu sei que parece bobagem, considerando que magia com anjos sempre foi uma parte integral da tradição mágica ocidental. Mais do que isso ainda, nós somos brasileiros e todo mundo já deve ter visto ou folheado os livros de anjos cabalísticos da Mônica…