O crucial da proteção espiritual (não é o que você espera)

Uma vantagem psicológica do ceticismo é não acreditar em espíritos malignos ou parasíticos, nem em ataques espirituais. Trata-se, vale frisar, de uma vantagem puramente psicológica, no entanto – ela não protege ninguém de nada, nem se sustenta de forma alguma a longo prazo, mas permite alguma tranquilidade temporária, pelo menos até algo inexplicável acontecer e…

Nove fórmulas para magia babilônica

Qualquer livro sobre magia cerimonial vai incluir uma série de fórmulas em grego, latim e hebraico. Hekas hekas bebeloi, procul este profani, amen. Essas fórmulas dão um colorido a mais ao ritual, mas mais do que isso apontam para as fontes das quais essas tradições bebem (embora com frequência o domínio de ocultistas de línguas…

Campanha Pamela Smith: a artista que atravessou o tempo

Pamela Colman Smith. Se você está aqui, é bem provável que você conheça este nome como sendo a artista responsável por ilustrar o tarô Rider-Waite-Smith (RWS) — muitas vezes vergonhosamente chamado só de Rider-Waite, trazendo o nome do ocultista Arthur Edward Waite e o do editor que o publicou, mas omitindo o nome da artista….

Uma introdução aos decanos

Minha obsessão mais recente nos estudos de ocultismo tem sido o tema dos decanos, as 36 divisões do zodíaco. Já vimos um pouco disso em alguns textos que saíram aqui no site, mas um grande amigo me fez o favor inestimável de me emprestar o livro 36 Faces: The History, Astrology and Magic of the…

Meus seis demônios favoritos do Dicionário dos Demônios

Como vocês devem saber, a editora Darkside, já conhecida pelo seu catálogo de livros no gênero de horror, suspense e capirotagens no geral, recentemente inaugurou seu selo Magicae, dedicado a livros de magia e que já conta com obras de destaque como Bruxa Natural: Guia Completo, de Arin Murphy-Hiscock, e o Grimório Oculto, de John…

A tabela dos 72 anjos

O que seria do ocultismo ocidental sem seus tabelões, não é mesmo? A tendência de botar tudo em planilhas pode ser um hábito ruim, quando vira um fim em si mesmo e estimula o hábito de obsessivamente taxonomizar e encaixar tudo que existe na realidade em categorias fechadinhas e definitivas (uma tendência que a gente…

Um hino a Sîn, deus da Lua

A gente, por inúmeros motivos, tem uma tendência tão grande de instintivamente associar a Lua ao feminino que talvez seja surpreendente descobrir que os povos do Antigo Oriente Próximo tinham divindades lunares masculinas. No Levante, no panteão cananeu, ele se chamava Yarikh (uma das palavras para Lua em hebraico é o cognato yerah ou yareach,…

Os quadradinhos mágicos dos quatro elementos

Esta foi uma descoberta que eu fiz recentemente — ou uma surpresa que eu tive, melhor dizendo — , enquanto ouvia a uma palestra no YouTube, “Magic and the Occult in Islam: Ahmad al-Buni and his Shams al-Marif”, ministrada pelo prof. Saiyad Nizamuddin Ahmad no Warburg Institute em 2013 (link aqui). O assunto da palestra é autoexplicativo: o Prof….

Além do Caos: a obra de Phil Hine, em campanha

Como já disse em alguns momentos anteriores, eu tive o meu começo no rolê esotérico com a Magia do Caos (algum dia talvez eu conte aqui melhor qual foi o caminho e como fui parar nele)… mas, como muitos outros magistas contemporâneos com uma história parecida, não me identifico mais com o movimento. Apesar disso,…

Três amuletos históricos (com explicações)

Objetos imbuídos de forças mágicas e conexões com espíritos são um componente importante de práticas esotéricas em todo o mundo. Eu mesmo já dediquei um texto só sobre o assunto como introdução às ferramentas mágicas e, no mês passado, ministrei um pequeno curso sobre criação de talismãs[1]. Talismãs e amuletos, em resumo, são objetos criados…